Em oficina, Sebrae/RR ensina como definir preços de produtos e serviços | ASN Roraima

Divulgação/Fonte

Compartilhe:

Instituição promoveu o evento após constatar grande dificuldade de novos empresários em conseguir precificar para obter lucro.

Definir os preços de produtos e serviços é uma dificuldade de muitos empresários de micro e pequenas empresas. Para resolver isso, o Sebrae Roraima promoveu a oficina Formação de Preços na noite desta quarta-feira (6), em sua sede, o Edifício Airton Dias, em Boa Vista.

No evento, o consultor Rafael Pereira ensinou a sete empresários sobre como tomar decisões inteligentes acerca de preços, tudo para garantir a lucratividade e a expansão dos negócios. “A ideia é que eles identifiquem, no dia a dia, as classificações dos custos e despesas. Porque muitos deles que estão iniciando têm aquele gasto, por exemplo, de R$ 1 mil mensais na conta fixa e misturam gasto fixo com pessoal e despesa. E no final do mês, isso vira uma bola de neve”, exemplificou.

Na capacitação, os alunos puderam colocar em prática, através de exercícios e a troca de ideias entre os colegas, os conhecimentos adquiridos.

A gente pensou em fazer uma oficina voltada não só pra parte teórica, mas prática, pra que os clientes possam, de fato, aprender o assunto e conseguirem aplicá-lo na empresa, no dia a dia deles, declarou a analista Fernanda Baena, da Unidade de Gestão da Inovação, Mercado e Serviços Financeiros (UGIMS) do Sebrae/RR.

Proprietário de uma farmácia há apenas um ano, o empresário Edivan de Oliveira Cruz admite ter grande dificuldade em precificar medicamentos. Para ele, a oficina vai ajudá-lo a romper essa barreira. “Por ser um novo negócio, existem algumas dúvidas que a gente tem, principalmente na questão de definir o preço ideal, quanto tou ganhando a cada medicamento, o que tou tirando de pessoal da empresa”, explicou ele, que tem investido em conhecimento, incluindo ser aluno do quinto período do curso de Farmácia.

Organizar para precificar

Em uma empresa, o importante é saber diferenciar o que é pessoal e o que é do negócio. Através de uma planilha, os alunos aprenderam isso em três passos: listar todos os gastos; separar os gastos pessoais e do negócio; e classificar gastos fixos (como energia, água, aluguel, salário, encargos e pró-labore) e variáveis (produtos de fornecedores).

Ao classificar gastos fixos e variáveis, e estipular a margem de lucro desejada, o empresário consegue ter a ideia de formar o preço de venda. Assim, ele poderá:

– Negociar com fornecedores para comprar por preços menores, reduzindo custos;

– Procurar outros fornecedores com preços mais atrativos;

– Diminuir a margem de lucro quando o cliente quiser comprar uma quantidade maior e não ter prejuízo; e

– Calcular quanto é preciso faturar por mês para “empatar”, conhecendo a margem média. Com isso, toda a margem gerada será o lucro.

Lei a notícia completa na Agência Sebrae de Notícias – Clique Aqui!

Leia também:

Livro sobre Boinas Azuis da ONU será lançado no STJ

Postado em 31 de dezembro de 1969

Assembleia Legislativa aprova leis em favor da saúde mental da população roraimense

Postado em 3 de janeiro de 2022

Assembleia Legislativa continua a serviço da população durante recesso parlamentar

Postado em 3 de janeiro de 2022

Centro de Convivência da Juventude da Assembleia Legislativa retoma atividades

Postado em 4 de janeiro de 2022