AVANÇO NA SAÚDE Assinado protocolo para implantação de Hospital Universitário Federal em Roraima | ALE-RR

Divulgação/Fonte

Compartilhe:

Nesta quarta-feira (7), foi assinado o protocolo de intenções entre a Universidade Federal de Roraima (UFRR) e a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) para a implantação do primeiro Hospital Universitário Federal do Estado. A unidade vai funcionar no lugar do Hospital das Clínicas, zona Oeste de Boa Vista.

As tratativas para implementação do hospital começaram no primeiro semestre do ano passado, e a Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) teve papel importante nesse processo. A Comissão de Saúde e Saneamento promoveu reuniões e, no fim de 2023, o Poder Legislativo aprovou a transferência do Hospital das Clínicas para a construção da unidade federal.

“Nós absorvemos essa demanda, trouxemos representantes dos ministérios da Saúde e Educação, e fizemos um trabalho de articulação com o governo estadual para que fosse definitivamente doado o Hospital das Clínicas e, hoje, pudéssemos assinar o protocolo. A comissão participou ativamente de todo o processo”, declarou o deputado Dr. Cláudio Cirurgião, também presidente da Comissão de Saúde.

Por meio do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (Novo PAC), do governo federal, serão investidos R$ 50 milhões para a criação do Hospital Universitário Federal. Além disso, devem ser alocados mais R$ 50 milhões, por meio do Fundo da Amazônia, para a construção de um complexo de saúde indígena, anexo à unidade. A informação foi repassada pelo secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde, Helvécio Miranda Magalhães.

“Vamos construir um complexo hospitalar indígena, respeitando suas peculiaridades, culturas e práticas, usando a infraestrutura do hospital e construindo enfermarias adaptadas aos indígenas. Isso é uma novidade enorme dentro do SUS. É um cuidado com a população de uma região em desenvolvimento, estratégica para o Brasil, mas com muitas carências. Queremos ter um SUS exemplar para a população de Roraima”, expressou o secretário.

Ensino, pesquisa e inovação

De acordo com a diretora de Atenção à Saúde da Ebserh, Lumena Castro Furtado, as primeiras medidas serão ampliar de 10 para 20 os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e, a médio prazo, aumentar para 180 os de internação. Lumena acrescentou que a empresa vai desenvolver um plano de ações baseado nas necessidades da população de Roraima. A Ebserh é do governo federal e cuida de mais de 40 hospitais pelo Brasil.

“Nosso objetivo é qualificar o cuidado em saúde para toda a população, integrando ensino, pesquisa e inovação. A intenção é ampliar os leitos de UTI e construir um plano para chegarmos a 180 leitos e um centro cirúrgico, agregando qualidade e complexidade ao hospital. Um processo que será feito em diálogo com a UFRR, recebendo alunos de graduação e para residência. O objetivo é integrar educação e saúde no mesmo espaço de formação, voltado para o SUS. Estamos animados com essa parceria”, disse Lumena.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Edson Castro, a chegada do hospital vai ajudar a desafogar a demanda do Hospital Geral de Roraima (HGR), que atualmente é a única unidade estadual de alta complexidade.

“É um avanço para a saúde do Estado. Os profissionais ganham uma nova estrutura, novos programas de residência médica de maneira interdisciplinar. O HGR, até o momento, é o único que oferece esse tipo de serviço e, agora, haverá um hospital destinado para esse fim, com recursos repassados pelo governo federal”, projetou Castro.

Residências

O reitor da UFRR, Geraldo Ticianeli, explicou que Roraima já possui 12 residências médicas autorizadas, e anunciou que a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde autorizou a primeira residência multiprofissional do Estado, ou seja, profissionais da saúde como enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas e farmacêuticos, poderão cumprir essa etapa com a possibilidade de bolsa paga pelo Ministério da Educação.

“Já estamos discutindo também o projeto pedagógico para uma residência em saúde indígena, porque os profissionais precisam entender as características dessas populações. Ainda estamos debatendo a possibilidade de uma residência em odontologia, necessária no Estado. A UFRR está fortalecendo sua missão”, anunciou Geraldo.

O reitor lembrou ainda que o sonho de um hospital universitário dura mais de 30 anos, já que a instituição tem um legado na formação de médicos e estudos na área da medicina. Ele mencionou que a universidade continua cumprindo sua responsabilidade em contribuir para a educação e o bem-estar social.

“Teremos duas vertentes: a de assistência e a de ensino e pesquisa. Também teremos uma atenção aos indígenas, fundamental para a melhoria da humanização e o respeito cultural. Haverá uma diretoria de ensino responsável por organizar os internados e as residências, além de organizar o processo de melhoria através de investigações. É um hospital que traz fluxo de saúde, porque é 100% gratuito, e fortalece o ensino, a pesquisa e a extensão”, finalizou.

 

Texto: Josué Ferreira

Foto: Eduardo Andrade

SupCom ALERR

Fonte: ALE-RR | Assembleia Legislativa de Roraima – Leia mais

PUBLICIDADE

Leia também:

Governo inaugura vicinal que atenderá comunidades indígenas de Normandia – GOVERNO DE RORAIMA

Postado em 4 de março de 2024

Desenvolve Roraima e Sebrae/RR avançam no planejamento estratégico durante visita consultiva | ASN Roraima

Postado em 4 de março de 2024

Concurso Nacional Unificado tem quase 10 mil indígenas inscritos

Postado em 4 de março de 2024

FISCALIZAÇÃO Procon Assembleia monitora aplicação da lei que garante meia-entrada a agentes de segurança pública | ALE-RR

Postado em 4 de março de 2024