DESENVOLVIMENTO

Técnicos do governo apresentam a deputados estudos do Zoneamento Econômico-Ecológico

ALE-RR aguarda projeto de lei do Executivo para audiência de apresentação à população e posterior aprovação em plenário
Foto: Marley Lima

Compartilhe:

Por Marilena Freitas

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) recebeu na tarde desta terça-feira (7) técnicos do governo que apresentaram aos deputados o Zoneamento Econômico-Ecológico (ZEE) do Estado.

Eles explicaram as mudanças que ocorreram e mostraram como ficou a zonificação, que é o mapa final do ZEE, um instrumento que serve para orientar o governo nas tomadas de decisão para a implementação de políticas públicas.

“Preocupados com a urgência dessa matéria, ouvimos os técnicos e professores, que fizeram uma breve apresentação. Estou satisfeito com o que vi. A nossa cobrança junto ao Governo do Estado é que encaminhe ainda neste mês para que façamos as audiências necessárias e possamos aprovar ainda neste semestre o nosso tão sonhado zoneamento ecológico”, afirmou o presidente da Casa Legislativa, Soldado Sampaio (Republicanos).

Sampaio ressaltou que a aprovação do ZEE permitirá “o uso do Código Florestal para reduzir a área de preservação ambiental, fazendo triplicar a área de produção do Estado”.

“Será um grande ganho para o setor produtivo de Roraima, para a agricultura familiar e empresarial. O setor primário vai continuar se desenvolvendo com esse estudo técnico científico”, acrescentou.

O presidente da Comissão do Meio Ambiente, deputado Éder Lourinho (PTC), avaliou a reunião como positiva para o desenvolvimento de Roraima, porque o ZEE vai definir, oficialmente, as áreas no Estado, mostrando quais são as de fronteira, produtivas, indígenas, urbanas, de preservação e conservação.

“Esse zoneamento é aguardado por toda a população, principalmente pelos produtores rurais, que estão ansiosos. Roraima tem 65% de terras públicas, podendo ser liberadas, por lei, 50% das áreas. Atualmente, só podem ser utilizados 20%.”

Durante a apresentação, o secretário de Agricultura de Desenvolvimento e Inovação, Emerson Baú, deixou claro que o “Zoneamento Econômico-Ecológico não atinge as áreas indígenas”. Ele mostrou também que todas as áreas zoneadas têm aptidão econômica, sendo classificadas em melhor, boa e de baixa produtividade.

Baú ressaltou ainda que a região Centro-Norte, que foi a mais questionada anteriormente, foi totalmente revisada pelos técnicos, e que todas estão aptas à produção, em menor ou maior escala.

Leia também:

ANIVERSÁRIO MUNICIPAL TV Assembleia aborda aspecto religioso em reportagem especial sobre os 69 anos de Caracaraí | ALE-RR

Postado em 27 de maio de 2024

100 VAGAS Inscrições para cursos presenciais de Informática na Escolegis iniciam na próxima semana | ALE-RR

Postado em 27 de maio de 2024

Em Cannes, MinC celebra presença do audiovisual brasileiro no exterior — Agência Gov

Postado em 27 de maio de 2024

Governo vai abrir edital para que municípios recebam equipamentos de TV digital – Notícias

Postado em 27 de maio de 2024