Pesquisas do Instituto Tecnológico de Aeronáutica são destaques em revistas internacionais — Agência Gov

Divulgação/Fonte

Compartilhe:

 

Um estudo desenvolvido pelo pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Aplicações Operacionais (PPGAO) do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Tenente-Coronel Engenheiro, Gustavo Barbi Vieira, ganhou destaque em uma das revistas científicas mais importantes do mundo no setor de gerenciamento de projetos, a Elsevier. Já o artigo desenvolvido pelo Coronel Engenheiro Gustavo Farhat de Araújo, também pesquisador do PPGAO, foi assunto de interesse em uma das principais revistas internacionais sobre Engenharia, a Journal IEEE Access.

O trabalho publicado na revista Elsevier apresenta uma proposta inovadora ao analisar as interdependências entre projetos e criar uma padronização de classificação. Além disso, a pesquisa propõe uma nova terminologia para aprimorar o processo de seleção de portfólios em atividades militares estratégicas. A publicação na Journal IEEE Access , por sua vez, tem como objeto de análise alvos não colaborativos de interesse da Força Aérea Brasileira (FAB) e emprega a Inteligência Artificial para desenvolver um método de identificação destes objetivos.

Estudos em desenvolvimento

Intitulado “ Project Portfolio Selection considering interdependencies: A review of terminology and approaches ”, o trabalho de doutorado do Tenente-Coronel Gustavo Vieira aborda as interdependências entre projetos e seus efeitos na seleção de portfólios em organizações como o Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER). A pesquisa mostrou que essas interdependências são particularmente importantes em aplicações militares, uma vez que os projetos voltados para o desenvolvimento de capacidades operacionais requerem, em geral, uma integração entre as diversas iniciativas para alcançar o efeito desejado. Como resultado, é apresentada uma proposta original de classificação para essas interdependências, como forma de padronizar o entendimento sobre os relacionamentos entre projetos durante a seleção e gerenciamento de portfólios para essas atividades.

O trabalho do Coronel Gustavo, por sua vez, intitulado “ Synthetic SAR Data Generator using Pix2pix cGAN Architecture for Automatic Target Recognition ”, utiliza um tipo especial de rede de aprendizado profundo, a Conditional Generative Adversarial Networks (cGAN). A Inteligência Artificial desenvolvida na pesquisa gera imagens falsas que são similares às imagens reais geradas por um Radar de Abertura Sintética (SAR). O objetivo foi desenvolver um sistema capaz de fornecer dados para o treinamento de algoritmos de classificação de alvos não cooperativos, ou seja, alvos de grande valor estratégico que raramente se expõem, dificultando a coleta de uma quantidade suficiente de imagens para o treinamento do algoritmo.

Aplicações Operacionais

Para o autor do trabalho Project Portfolio Selection considering interdependencies: A review of terminology and approaches , o Tenente-Coronel Gustavo Vieira, trata-se de um marco conceitual importante no setor de seleção e gerenciamento de portfólios e projetos por esclarecer como os relacionamentos entre eles devem ser classificados, assim como mapear os efeitos desse processo de gerenciamento. “Este estudo discorre sobre como a pesquisa futura sobre os efeitos das interdependências entre projetos pode contribuir de agora em diante para o aprimoramento dos métodos de seleção de portfólio nas organizações em geral e, em particular, na FAB. É muito importante que sejamos capazes de gerenciar esta integração em todas as fases do ciclo de vida de seus projetos estratégicos”, concluiu.

O trabalho desenvolvido pelo Coronel Gustavo, referente à Inteligência Artificial, segundo o Adjunto à Coordenação do PPGAO, Tenente-Coronel Aviador Geraldo Mulado de Lima Filho, demonstra uma aproximação entre as áreas acadêmica e operacional, representando um conhecimento disruptivo no cenário militar. “É de extrema importância que essa tecnologia seja desenvolvida internamente no país, pois quando é adquirida de empresas estrangeiras chega como uma caixa preta, ou seja, sem acesso aos parâmetros e funções do modelo computacional utilizado. Isso impossibilita a avaliação da adequação desses parâmetros para aplicações operacionais na Força Aérea, o que pode ser feito por meio de sistemas desenvolvidos pela FAB”, concluiu.

Por: Força Aérea Brasileira (FAB)

Edição: Ailane Silva




Fonte Notícias/imagens: Agência GOV da Empresa Brasil de Comunicação – EBC – Leia Mais

PUBLICIDADE

Leia também:

PREVIDÊNCIA SOCIAL Ministro assina termo de cooperação para implantar núcleo em Amajari | ALE-RR

Postado em 4 de março de 2024

Projeto inclui vacinas contra herpes-zóster e infecção pneumocócica no programa de imunização – Notícias

Postado em 3 de março de 2024

Sebrae/RR e Setrabes se reúnem para discutir sobre parceria e projeto para empreendedorismo entre as mulheres | ASN Roraima

Postado em 3 de março de 2024

Belo Monte é usina que menos emite gases de efeito estufa na Amazônia

Postado em 3 de março de 2024