NO BURITIS

Novo núcleo da Defensoria Pública de Roraima faz primeiros atendimentos

Órgão fica na Superintendência de Programas Especiais da Assembleia Legislativa
Foto: Nonato Sousa

Compartilhe:

Por Suzanne Oliveira

Segunda via de registro civil, investigação de paternidade/maternidade, divórcios sem bens e ação de alimentos são alguns dos serviços oferecidos pela nova unidade da Defensoria Pública do Estado de Roraima (DPE-RR), que fica no prédio da Superintendência de Programas Especiais da Assembleia Legislativa (ALE-RR).

O núcleo iniciou os atendimentos nessa segunda-feira (6) e já recebeu os primeiros usuários. A parceria entre as duas instituições foi firmada em 17 de maio, por meio de um acordo de cooperação técnica assinado pelo presidente da ALE-RR, deputado Soldado Sampaio (Republicanos), e o defensor-público em exercício, Oleno Matos.

De acordo com Sampaio, a ideia surgiu após demandas de outros órgãos da Superintendência de Programas Especiais, como o Procon, Chame e Fiscaliza, virarem questões judiciais e necessitarem de um profissional do campo do direito, já que esses setores são de orientação e assessoramento.

Pensando nisso, nós buscamos firmar uma cooperação técnica com a DPE. Se o cidadão, ao buscar seu direito no Poder Legislativo, tiver uma demanda judicial, a equipe da defensoria na Superintendência de Programas Especiais estará pronta para representá-lo na Justiça ou na administração pública. Foi com essa finalidade que fizemos isso, e está dando certo”, explicou o presidente.

Para Damosiel Alencar, superintendente de Programas Especiais, a disponibilização de uma sala no local facilitará o atendimento a moradores da zona Oeste da cidade, que não vão precisar se deslocar até o Centro, onde funciona a sede da DPE.

Nós temos uma frequência de cerca de 800 pessoas por dia aqui na superintendência, entre pais e crianças. Por estar na zona Oeste, permite que elas tenham acesso aos serviços com mais facilidade”, ressaltou.

A servidora pública Lindalva de Freitas foi deixar o filho na superintendência nesta quinta-feira (9). Lá, ela soube da implantação do núcleo e aproveitou a oportunidade para tirar a segunda via da certidão de nascimento de uma das netas e sanar dúvidas sobre um benefício para outras duas com transtorno do espectro autista.

Eu moro em uma comunidade indígena de Amajari. Ter essa oportunidade de tirarmos dúvidas e poder ter serviços como esses à disposição, é maravilhoso. Rapidamente fui atendida. Tirar a segunda via no cartório é muito caro, não tem condições. Também quero buscar melhorias para minhas outras netas que são especiais”, contou a servidora.

Serviços

O núcleo fica na avenida Ataíde Teive, 3510, no bairro Buritis, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30, sem intervalo para o almoço. Segundo a coordenadora Amanda Araújo, até o momento, a procura pelos serviços têm sido “volumosa”.

A maioria deles é de ações específicas da vara cível, como de alimentos, interdição de curatela, divórcio sem bens, alimentos gravídicos. Fizemos ainda orientações e andamento processual. Se não atendermos alguma dessas demandas do assistido ou assistida, encaminhamos para outros núcleos e para a própria defensoria também”, informou Amanda.

Para ter acesso, o interessado deve se dirigir ao prédio da superintendência, com os documentos pessoais e agendar atendimento.

Nossa missão é prestar assistência jurídica à população, principalmente a dos bairros mais afastados. Com esse núcleo no Buritis, fica mais acessível para pessoas de outras áreas da cidade, e aqui já funcionam os programas da Assembleia. Então, os pais deixam as crianças nas atividades e vêm para o atendimento. É bem mais prático”, concluiu a coordenadora.

Cumprimento de sentença de alimentos; retificação de registro civil; assentamento de registro civil e nascimento indígena; tutela de menores; desarquivamento de processos; tomada de decisão apoiada; interdição/curatela; demandas de direito à saúde; informações sobre andamento de processos e orientações jurídicas são outros serviços prestados pelo núcleo da DPE.

Leia também:

Pesquisa sobre mídia cívica indica ruptura com conceitos tradicionais

Postado em 16 de junho de 2024

Polícia Civil participa de operação nacional de proteção ao Meio Ambiente

Postado em 16 de junho de 2024

TERAPIA E RENDA EXTRA Alunos concluem curso de pintura em tecido na Escolegis do bairro Santa Luzia | ALE-RR

Postado em 15 de junho de 2024

Comissão aprova licença-maternidade de 180 dias para bombeira e policial – Notícias

Postado em 15 de junho de 2024