MAPA DE EMPRESAS

Mais de 4 milhões de novos empreendimentos foram abertos no país em 2021

O número é um recorde e 19,7% maior que o de 2020, de acordo com o Boletim do Mapa de Empresas
Foto: Banco de Imagens
Em 2021, 4.026.776 novos empreendimentos foram iniciados no Brasil

Compartilhe:

Em 2021, 4.026.776 novos empreendimentos foram iniciados no Brasil, um número recorde. São negócios como lanchonetes, salões de beleza e lojas de roupas. O número é 19,7% maior que o de 2020. Também houve redução no tempo para abrir um negócio e todo o processo pode levar menos de dois dias. As informações são do Boletim do Mapa de Empresas, do terceiro quadrimestre de 2021, divulgado na quarta-feira (09/02), pelo Ministério da Economia.

O desejo do brasileiro de empreender ficou demonstrado com o aumento no número de pequenos negócios em todos os estados no ano passado. O crescimento foi de 19,8% em relação ao ano anterior. Os Microempreendedores Individuais (MEIs) responderam pela abertura de 3.131.851 unidades. O número de MEIs ativos no país chegou a 10.822.385

“O Microempreendedor Individual é responsável por 57,2% dos negócios ativos do Brasil, além de representar 77,8% das empresas abertas em 2021, o que reforça a importância dos pequenos negócios para o país”, registra o Boletim do Mapa das Empresas.

Todas as unidades da federação registraram crescimento positivo na abertura de empresas no ano que passou. O Amapá teve o maior percentual de empresas abertas, com um crescimento de 40,9% em relação a 2020, totalizando 8.851 novos negócios. Outros quatro estados também superaram a faixa de 30% no crescimento anual de abertura de empresas. São eles, Alagoas, Piauí, Paraíba e Bahia.

Quando os dados são analisados por região, o Nordeste destacou-se com aumento de 27,1% em relação a 2020 na abertura de empresas. Na outra ponta, a região Sudeste apresentou menor taxa de crescimento (17,7%) na comparação com o ano anterior.

Entre as atividades econômicas mais exploradas pelas empresas abertas no ano de 2021 estão o comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios; promoção de vendas; cabeleireiros, manicure e pedicure; e obras de alvenaria. O ano de 2021 foi encerrado com 18.915.002 de empresas ativas, considerando matrizes, filiais e MEIs.

Menos burocracia e mais agilidade

Com ações para reduzir a burocracia no ambiente de negócios e a digitalização de serviços, o tempo médio de abertura de empresas passou de cinco dias e 9 horas, em 2019, para dois dias em 2021. Há casos em que o prazo é ainda menor. O Mapa mostra que 57% dos novos negócios são abertos em menos de um dia. Um exemplo é Maceió (AL), onde uma empresa pode ser aberta em 14 horas, em média. Sergipe e o Distrito Federal se destacaram como as unidades da federação com tempo de um dia.

“Os dados refletem os avanços dos órgãos federais, estaduais e municipais em direção a um ambiente de negócios mais dinâmico no país, com um processo de abertura de empresas mais ágil e simplificado”, aponta o Boletim do Mapa de Empresas.

Entre as medidas que contribuem para ampliar a agilidade está o Balcão Único, solução tecnológica que integra dados entre órgãos de cada esfera de governo de forma a reduzir o tempo do processo de abertura, encerramento e alterações de empresas. A iniciativa já está presente nas juntas comerciais de 17 estados, com expectativa de implantação em todas as unidades da federação até o final do ano.

O uso da assinatura eletrônica do gov.br por juntas comerciais é outra contribuição que agilizou a abertura de novos negócios, de acordo com o Boletim do Mapa de Empresas. Ela é gratuita e evita que o empreendedor precise comprar um certificado digital ou emitir procuração para um advogado ou contador realizar o processo.

O Mapa das Empresas detalha, ainda, que o Governo Federal tem trabalhado em políticas públicas para fomentar o ambiente de negócios brasileiro, na busca para minimizar os impactos provocados pela Covid-19. A publicação cita o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). A iniciativa foi criada após a chegada da crise sanitária e disponibilizou linhas de crédito para que os pequenos negócios pudessem acessar capital de giro. “O programa atendeu mais de 320 mil empresas em 2021, com liberações de crédito no valor total de R$ 25 bilhões”, registra o texto.

Cita também a aprovação, em 2021, pelo Congresso Nacional, da Lei nº 14.195, de iniciativa do Ministério da Economia, que facilita a abertura de empresas.

O Mapa de Empresas é desenvolvido pela Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, em parceria com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).

Confira o Boletim do Mapa de Empresas completo aqui.

Leia também:

Livro sobre Boinas Azuis da ONU será lançado no STJ

Postado em 31 de dezembro de 1969

Assembleia Legislativa aprova leis em favor da saúde mental da população roraimense

Postado em 3 de janeiro de 2022

Assembleia Legislativa continua a serviço da população durante recesso parlamentar

Postado em 3 de janeiro de 2022

Centro de Convivência da Juventude da Assembleia Legislativa retoma atividades

Postado em 4 de janeiro de 2022