Imunização contra a dengue envolverá a rede pública de ensino dos municípios – GOVERNO DE RORAIMA

Divulgação/Fonte

Compartilhe:

O Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria de Saúde), se reuniu na tarde desta segunda-feira, 26, com representantes dos 10 municípios contemplados com doses que serão aplicadas na Estratégia de Imunização contra a Dengue.

Realizado no auditório da Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde, no bairro São Francisco, zona Norte de Boa Vista, o encontro definiu que a estratégia de imunização terá a participação das escolas da rede de ensino dos municípios.

“O Estado fez uma proposta de estratégia de vacinação, onde nós vamos conseguir atingir um número muito maior de crianças e adolescentes. Estamos trabalhando com perda zero de vacinas, e tudo isso justifica que o nosso espaço ideal para fazer essa campanha seja nas escolas”, destacou a coordenadora da CGVS, Valdirene Oliveira.

Com base na indicação do Estado, cada município criará uma estratégia ligada com a realidade local. Somente após isso é que o Estado iniciará o repasse de imunizantes, com base na necessidade de cada município.

“Hoje eles voltam para o seu município com a missão de consolidar essa estratégia de imunização. Eles irão gerar a demanda para o Estado e nós vamos disponibilizar as vacinas conforme a capacidade, tanto de armazenamento como de execução da vacinação no município”, explicou a coordenadora, ao reforçar que tal plano deve ser apresentado até a próxima segunda-feira, 4 de março.

Ao todo, Roraima recebeu do Ministério da Saúde 20.670 doses de vacinas que contemplam os municípios de Alto Alegre, Amajari, Boa Vista, Bonfim, Cantá, Iracema, Mucajaí, Normandia, Pacaraima e Uiramutã.

Coordenador da Atenção Básica de Bonfim, Halisson Menezes Rezende ressaltou que a inclusão do município na campanha é essencial, principalmente na articulação conjunta com a Guiana, País que faz fronteira com o Brasil.

“Nós viemos tomando precauções em relação à dengue, durante esse tempo não-chuvoso, informando a população que tem que limpar seu quintal e onde há armazenamento de água. O segundo passo foi a comunicação com o país vizinho, que vêm realizando um trabalho de prevenção em conjunto conosco”, salientou.

CENÁRIO EPIDEMIOLÓGICO

De acordo com o Cenário Epidemiológico das Arboviroses Urbanas em Roraima, apresentado pelo Núcleo de Controle da Febre Amarela e Dengue, até o momento, foram registrados 205 casos prováveis de dengue no estado. No ano passado, no mesmo período, foram 239.

“Esse alerta vem dado desde 2023, nós temos alguns fatores que contribuem para esse aumento, como um vírus circulando, que é o sorotipo 3, que não circulava há muito tempo. Temos pessoas mais suscetíveis [a contrair o vírus] e temos também essa mudança climática que todo mundo vive”, explicou a gerente do NCFAD, Rosângela Santos.

O Núcleo analisou ainda que houve uma mobilização social maior a respeito do vírus da dengue, onde as pessoas tem buscado mais pelas unidades de saúde quando apresentam sintomas de Dengue, Zika ou Chikungunya.

De Governo de Roraima / SECOM – Acesse a matéria completa – aqui.

Leia também:

Livro sobre Boinas Azuis da ONU será lançado no STJ

Postado em 31 de dezembro de 1969

Assembleia Legislativa aprova leis em favor da saúde mental da população roraimense

Postado em 3 de janeiro de 2022

Assembleia Legislativa continua a serviço da população durante recesso parlamentar

Postado em 3 de janeiro de 2022

Centro de Convivência da Juventude da Assembleia Legislativa retoma atividades

Postado em 4 de janeiro de 2022