Dois candidatos com deficiência concorrem ao Senado — Senado Notícias

Divulgação/Fonte

Compartilhe:


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registrou a candidatura de 480 pessoas com deficiência que disputarão cargos públicos nas eleições de outubro. O número representa 1,6% do total de 28.790 pedidos de registros. Dois deles concorrem a uma vaga no Senado.

Um dos candidatos informou ter deficiência auditiva. O outro, deficiência física. Do total de candidatos com deficiência em 2022, a maioria (53,75%) possui alguma deficiência física. Em seguida, vêm os candidatos com deficiência visual (23,54%) e auditiva (11,67%), outras deficiências (8,33%) e autismo (2,71%).

Se eleitos, esses candidatos encontrarão um Senado mais adaptado às suas necessidades do que em 2018, quando foi eleita a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), primeira parlamentar tetraplégica da Casa. 

Adaptações

Com a chegada de Mara, o Senado promoveu adaptações no sistema de votação e obras de acesso ao Plenário e à Mesa, além de mudanças no gabinete da senadora e em outras dependências da Casa.

Antes mesmo da posse da senadora, em fevereiro de 2019, o Senado já havia concluído a maior parte dessas adaptações. No Plenário, no lugar destinado à senadora eleita, a cadeira fixa foi retirada, para que ela pudesse ter acesso à bancada com a cadeira de rodas. Uma estrutura de madeira foi colocada para acomodar, em uma altura confortável para a operação, o laptop que permite a votação por movimento de cabeça. 

Uma rampa também foi construída para permitir a Mara Gabrilli e a qualquer senador com dificuldade de se locomover o acesso à tribuna para fazer pronunciamentos. 

Em agosto de 2019, mais um avanço na acessibilidade: foi inaugurada uma nova via de acesso à Mesa do Plenário, adaptada para pessoas com deficiência. Como o Palácio do Congresso Nacional é tombado, a obra levou mais tempo que as demais porque precisou ser licenciada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Inclusão

Além dessas mudanças específicas, o Senado já contava antes da eleição de Mara com várias alterações no prédio principal e nos anexos da Casa feitas ao longo dos anos dentro do Plano de Acessibilidade para promover a acessibilidade e a inclusão de pessoas com deficiência. Entre essas obras estão adaptações nos banheiros públicos e calçadas e construção e correção de rampas.

Estas são as primeiras eleições de nível federal a contar com dados sobre candidatos com deficiência. Os dados são dinâmicos e podem variar com a análise e julgamento das candidaturas. 








Candidatos com Deficiência (480)

Física 258 53,75%
Visual 113 23,54%
Auditiva  56 11,67%
Outros  40 8,33%
Autismo 13 2,71%
Fonte: TSE

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)



Fonte: Senado Federal – Da Agência Senado – acesse aqui.

Leia também:

Livro sobre Boinas Azuis da ONU será lançado no STJ

Postado em 31 de dezembro de 1969

Assembleia Legislativa aprova leis em favor da saúde mental da população roraimense

Postado em 3 de janeiro de 2022

Assembleia Legislativa continua a serviço da população durante recesso parlamentar

Postado em 3 de janeiro de 2022

Centro de Convivência da Juventude da Assembleia Legislativa retoma atividades

Postado em 4 de janeiro de 2022