VALORIZAÇÃO

Coronel Chagas apresenta projeto que garante ascensão a policiais militares de reserva que voltam à ativa

PLC nº 008/2022 altera e acrescenta dispositivos da Lei Complementar nº 194/2012, que instituiu o Estatuto dos Militares do Estado de Roraima
Foto: Nonato Sousa
Pronunciamento deputado Coronel Chagas

Compartilhe:

Por Kátia Bezerra

Valorização e reconhecimento. Essas foram as justificativas do Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 008/2022, de autoria do deputado Coronel Chagas (PRTB) e do presidente da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), deputado Soldado Sampaio (Republicanos), apresentadas durante sessão plenária desta terça-feira (26). O PLC altera e acrescenta dispositivos da Lei Complementar nº 194/2012, que instituiu o Estatuto dos Militares do Estado de Roraima.

Na tribuna, Chagas afirmou que a matéria vai permitir ao governo do Estado, o reconhecimento dos policiais militares que foram convocados para a ativa, após 30 anos trabalhando na corporação, com a ascensão na carreira a mais um posto ou graduação. A proposta já está em tramitação e a intenção é realizar audiência pública com bombeiros e policiais para possíveis ajustes no texto.

“É importante fazermos esse anúncio, pois hoje temos mais de 200 policiais militares e bombeiros militares que já gozavam do direito de estar aposentados, mas que foram convocados para a ativa novamente”, justificou Chagas.

O PLC estabelece que o policial da reserva remunerado e integrante do quadro estadual ou do ex-Território Federal quando convocado e designado para a ativa ficará agregado ao respectivo quadro e poderá ser promovido uma única vez por tempo de convocação ou designação. “Existem alguns requisitos a mais, por exemplo, que é o militar quando convocado para a ativa permanecer por no mínimo dois anos de convocação para poder fazer jus a esse benefício. E após esse benefício, ele deverá permanecer por no mínimo, mais seis meses na ativa”, explicou o parlamentar.

Educação militarizada alcança índices superiores à média nacional

Ainda na tribuna, Coronel Chagas relembrou que, recentemente, o Governo do Estado instituiu a Secretaria Adjunta de Educação e Coordenação dos Colégios Militarizados de Roraima. Ao todo, 18 escolas atuam na modalidade militarizada, além do Colégio Militar da Polícia Militar. A meta é fortalecer as políticas públicas dentro dessas instituições.

“Foi uma ação política nossa, do Governo, Comando da Polícia Militar e Comando do Corpo de Bombeiros para que possamos fortalecer as escolas militarizadas para que elas melhorem ainda mais os índices educacionais do país, como o IDEB. Foi verificado um aumento significativo desses índices nos colégios, depois da militarização. Fomos a terceira melhor nota na região Norte, em 2015. No segundo e terceiro exame, fomos a maior nota de toda região Norte. É ideia do governo Antonio Denarium (PP), além de fortalecer essa política e programa, ampliar a rede das escolas militarizadas para outras 12 escolas de Roraima”, completou.

Leia também:

Pesquisa sobre mídia cívica indica ruptura com conceitos tradicionais

Postado em 16 de junho de 2024

Polícia Civil participa de operação nacional de proteção ao Meio Ambiente

Postado em 16 de junho de 2024

TERAPIA E RENDA EXTRA Alunos concluem curso de pintura em tecido na Escolegis do bairro Santa Luzia | ALE-RR

Postado em 15 de junho de 2024

Comissão aprova licença-maternidade de 180 dias para bombeira e policial – Notícias

Postado em 15 de junho de 2024