ESPORTE INOVADOR

Centro de Convivência da Juventude abre inscrições para ‘pickleball’

Esporte pode ser praticado individualmente ou em dupla; instituição oferece 80 vagas gratuitas
Foto: Eduardo Andrade
Centro de Convivência da Juventude

Compartilhe:

Por Marilena Freitas

O Centro de Convivência da Juventude da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) está com inscrições abertas para o pickleball, um esporte inovador que pode ser praticado em qualquer idade. Para se inscrever em uma das 80 vagas oferecidas pela instituição, basta comparecer à Superintendência de Programas Sociais, localizada na avenida Ataíde Teive, 3.510, bairro Buritis, levando documentos pessoais e comprovante de residência.

Mistura de tênis com pingue-pongue, o pickleball nasceu nos Estados Unidos. “Apesar de parecer muito com o tênis, pela dinâmica da bola, é mais lento, permitindo que as pessoas com maior dificuldade de mobilidade o pratiquem. Roraima é o primeiro Estado da região Norte que está ofertando o esporte”, disse o superintendente de Programas Especiais, Damosiel Alencar.

Ele destacou que a difusão do esporte no Estado foi feita pelo Valdilson Silva de Oliveira, o Vavá Oliveira, que mora nos Estados Unidos, mas que veio passar uma temporada em Roraima e falou sobre essa modalidade esportiva.

“Quando ele me falou que esse esporte era praticado por muitos idosos nos Estados Unidos, principalmente por aqueles que tinham certa dificuldade de mobilidade, logo o convidei para difundir por meio do Centro de Convivência da Juventude, um espaço voltado para levar cidadania com ações sociais e desportivas”, afirmou.

Vavá Oliveira explicou que o esporte é praticado em quadra com dimensões reduzidas. “As regras também são diferentes. O tênis é muito intenso, bola rápida, raquete pesada, enquanto o pingue-pongue é bola leve e muita adrenalina. Já o pickleball é uma mistura dos dois, com maior interação entre os jogadores, podendo ser em dupla ou individual”, descreveu, acrescentando que uma das regras é a bola só poder quicar uma vez na quadra.

Quem aprovou o esporte foi o servidor público Amarildo Farias. “Está com mais de um mês que estou praticando, e é um esporte muito bom. A minha vida mudou muito em termos de preparo físico e dormir bem”, contou.

O pickleball deu um norte para ele, que agora pensa em investir em qualidade de vida. “Quero mudar a minha alimentação para não ser uma pessoa sedentária. É um esporte maravilhoso e viciante. Eu moro no bairro Cidade Satélite, mas não deixei de vir fazer. É para todos: criança, idoso, magro, gordinho como eu. Os gordinhos estão se dando bem”, acrescentou.

História
Esporte de raquete simples e inovador, praticado no Brasil há apenas quatro anos, o pickleball surgiu na ilha de Bainbridge, próximo à cidade de Seattle, em Washington nos Estados Unidos, no final da década de 70. Assim como tantos outros, nasceu como um entretenimento caseiro, sendo que a quadra não requer muito espaço para ser montada.

A origem do nome do esporte é curiosa, pois ‘pickles’ vem do inglês pepinos em conserva. De acordo com o site oficial do esporte no país (pickleball.com.br), a esposa do criador da modalidade remetia à lembrança do pickle boat, um apelido de tripulantes do último veleiro a cruzar a linha de chegada em competição específica. Em outra versão, foi batizado por pickels, que era o nome do cão de estimação dos criadores Joan e Joel Pritchard. O pet não sossegava atrás da bola enquanto eles jogavam o pickleball.

Leia também:

Livro sobre Boinas Azuis da ONU será lançado no STJ

Postado em 31 de dezembro de 1969

Assembleia Legislativa aprova leis em favor da saúde mental da população roraimense

Postado em 3 de janeiro de 2022

Assembleia Legislativa continua a serviço da população durante recesso parlamentar

Postado em 3 de janeiro de 2022

Centro de Convivência da Juventude da Assembleia Legislativa retoma atividades

Postado em 4 de janeiro de 2022