SALVAR VIDAS

Banco de Leite da Maternidade Nossa Senhora de Nazareth precisa de doadoras

Lei estadual do deputado Chico Mozart estimula doação, isentando doadoras do pagamento de taxa de concurso e vestibular
Foto: Marley Lima
Psicóloga Marina de Lima Álvares, do Banco de Leite da maternidade[1998]

Compartilhe:

Por Marilena Freitas

O Hospital Materno-Infantil Nossa Senhora de Nazareth está com déficit de leite materno humano e conta com a doação voluntária para suprir o estoque. Em fevereiro, houve o registro de 78 doadoras ativas. Diariamente, são doados apenas 50% da quantidade ideal para atender à demanda. Em média, numa UTI (Unidade de Terapia Intensiva), um bebê necessita mamar oito vezes por dia.

“O ideal seriam seis litros de leite por dia, para ofertar somente leite humano para os bebês da UTI. De segunda a sexta-feira, recebemos cerca de dois a três litros diariamente”, disse a psicóloga Marina de Lima Álvares, do Banco de Leite da maternidade, ao salientar que em dezembro e janeiro, devido às férias, essa quantidade diminui.

A Lei nº 1.539/202, de autoria do deputado Chico Mozart (Cidadania), incentiva a doação de leite humano, isentando as doadoras do pagamento de taxa de inscrição em concurso público e vestibular realizados no Estado. “A isenção é válida para as mães que doaram, pelo menos, 15 vezes nos 12 meses anteriores à publicação do edital do concurso público e vestibular”, explicou o parlamentar.

Para se tornar doadora, basta entrar em contato com o Banco de Leite pelo WhatsApp no número (95) 98414-0772 e preencher o cadastro on-line. Marina detalhou que a mulher precisa estar saudável.

“A mãe não precisa sair de casa para ir ao Banco de Leite. Temos uma parceria com o Corpo de Bombeiros que faz a rota coletando o leite armazenado para trazer à maternidade. Em fevereiro, o estoque de leite melhorou, mas é uma quantidade que não nos deixa seguros porque, a qualquer momento, a UTI lota e o estoque, que precisa ser mantido sempre em alta, vai sendo consumido”, destacou.

A estudante de psicologia Camila Carolina da Costa Eloi, 25 anos, decidiu colocar em prática o sonho antigo de ser doadora de leite materno. “Tenho esse desejo de doar leite desde a primeira gestação, mas não doei por falta de informação. Nesta gestação, vou doar porque vejo a necessidade desse primeiro contato da criança. Sinto-me muito bem porque sei que vou contribuir. Se cada um fizer um pouquinho, já é suficiente”, disse.

Agosto Dourado

A Lei nº 1.413/2020, da deputada Angela Águida Portella (PP), criou o “Agosto Dourado”, mês dedicado às campanhas de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno. A data faz parte do calendário oficial do Estado e estimula o debate sobre a importância desta ação entre as mães que amamentam.

Doação de pote de vidro

O Banco de Leite da maternidade também necessita de potes de vidro para o armazenamento de leite materno. Os interessados em doar também podem entrar em contato via WhatsApp. A instituição providencia a busca. O ideal, segundo a psicóloga, são os potes com tampa de plástico, como as embalagens de café solúvel.

Texto: Marilena Freitas
Foto: Marley Lima
SupCom ALE-RR – 07.03.2022

Leia também:

Pesquisa sobre mídia cívica indica ruptura com conceitos tradicionais

Postado em 16 de junho de 2024

Polícia Civil participa de operação nacional de proteção ao Meio Ambiente

Postado em 16 de junho de 2024

TERAPIA E RENDA EXTRA Alunos concluem curso de pintura em tecido na Escolegis do bairro Santa Luzia | ALE-RR

Postado em 15 de junho de 2024

Comissão aprova licença-maternidade de 180 dias para bombeira e policial – Notícias

Postado em 15 de junho de 2024