ESPECIAL PUBLICITÁRIO

TV Assembleia conta mudanças históricas do carnaval boa-vistense durante mais de 80 anos

Foto: Eduardo Andrade/ SupCom ALE-RR
Série de reportagens faz um resgate da memória do carnaval de Boa Vista

Compartilhe:

A TV Assembleia (canal 57,3) preparou uma série de reportagens que contam mais de 80 anos de história do carnaval de Boa Vista, com destaque para as variações dos estilos musicais e festejos que acompanharam a evolução do tempo. “Foi no carnaval… Da década de 1940 até hoje, as mudanças que o carnaval viveu em Boa Vista” vai ao ar de 12 a 16 de fevereiro, no Assembleia Informa, a partir das 18h.

O especial se inicia nos anos 1940, na época em que os bloquinhos de rua desfilavam ao som de marchinhas, na Avenida Jaime Brasil. Depois, passa pelos blocos do Centro Cívico, comandados pelo Marreta (que dá nome ao coreto), até chegar à Avenida Ene Garcez, com os desfiles das escolas de samba, no estilo carioca.

 

Alfredo Maia/ SupCom ALE-RRCarnaval de rua na capital, Boa Vista, nos anos 2000

 

Nas décadas de 1980 e 1990, o cenário muda de lugar e dá espaço aos bailes realizados nos dois principais clubes da cidade: Iate e Gressbe (Grêmio Recreativo de Subtenentes e Sargentos). Frequentados pela elite boa-vistense, o formato mais estático seguiu em alta ainda por mais alguns anos.

Com cerca dez minutos cada reportagem, a série conta com imagens históricas cedidas por familiares dos pioneiros do movimento, além de depoimentos emocionantes de pessoas que organizavam festas para centenas de foliões. Para um dos personagens, o radialista e jornalista José Maria Carneiro, a TV Assembleia relembrou uma cultura importante para o Estado, há muito tempo esquecida.

 

Eduardo Andrade/ SupCom ALE-RRRadialista e jornalista José Maria Carneiro

 

“Quero parabenizar a emissora e os envolvidos por resgatarem a história de Roraima. A nossa cultura é carnavalesca, através de suas escolas de samba. Elas são como uma redação, onde há início, meio e fim [o samba-enredo]. Então, você fala das belezas da Amazônia, de Roraima, do Rio Branco e, por meio disso, educa pessoas e faz com que elas imaginem que a gente pode ser melhor através da música. Esses parabéns são por ressurgirem essa história, que foi parar no fundo do baú e que é bom começarmos a pensar em como podemos reconquistá-la”, avaliou.

Nas reportagens, o telespectador também vai poder rever o “Folia Vista”, um dos maiores eventos do gênero que caiu no gosto dos roraimenses, moradores de outros estados da Região Norte e até de países vizinhos. O carnaval fora de época nasceu no fim da década de 1990 e finalizou próximo ao fim dos anos 2000. A Avenida Ene Garcez foi palco para as diversas atrações nacionais, com o ritmo axé music.

Atualmente, os blocos Canaimé, que segue fiel ao ritmo baiano, e o Mujica, mistura alternativa que prioriza músicas regionais, embalam o carnaval na capital.

 

Marley LimaDiretora de TV e Rádio, Camila Dall’Agnol

 

 

“Tem muita história para contar, muitos depoimentos interessantes de filhos e netos relembrando histórias de suas famílias, revendo fotos, lembrando de conversas. Enfim, tem muita coisa emocionante. A gente precisou expandir o número de reportagens”, destacou a diretora de TV e Rádio, Camila Dall’Agnol, ao detalhar que a ideia inicial era retratar somente as décadas de 1970, 1980 e 1990.

Os jornalistas Willians Dias e Marilena Freitas conversaram com alguns dos protagonistas destas histórias, durante cinco dias de gravação. Para Dias, a produção foi um mergulho na memória do carnaval de Boa Vista que, por vezes, até se confundiu com a própria história da capital.

 

Marley Lima/ SupCom ALE-RRWillians Dias destaca que a produção foi um mergulho na memória do carnaval

 

“E foi durante um período o principal entretenimento da cidade. Ela era pequena ainda, todo mundo se conhecia, e a gente trouxe um pouco da perspectiva de quem vivenciou isso e, também, dos filhos dessas pessoas que gostam tanto de carnaval, que falar sobre essa festa é um prazer. A gente esbarrou mais na dificuldade quanto aos registros fotográficos, principalmente. Estamos falando de uma época em que câmera digital não era algo muito comum para todo mundo”, ressaltou.

Já Freitas salientou que se contagiou com toda a produção, por ser da época do carnaval das batalhas de confetes, das marchinhas e do frevo.

 

Marley Lima/ SupCom ALE-RRMarilena Freitas participou da produção da série de reportagens que fez um resgate do carnaval boavistense

 

“Claro que acho o carnaval da Bahia muito bonito, mas meu coração ainda está muito voltado para o clássico, o raiz. Fiquei bastante feliz de reencontrar essas pessoas. Foi muito satisfatório produzir esse material e atuar como repórter em razão das circunstâncias. Outra coisa interessante é que algumas pessoas estavam esquecidas no cenário musical, e elas ficaram muito felizes de serem lembradas. Foi legal ver essa alegria”, declarou Freitas.

A Rádio Assembleia (FM 98,3) também fará uma versão sobre o especial de carnaval, que será exibida dentro do programa Parlamento de Ponta a Ponta, nos dias 12, 13 e 14 de fevereiro.

 

Eduardo Andrade/ SupCom ALE-RRSérie de reportagens vai ao ar de 12 a 16 de fevereiro, a partir das 18h

 

Ficha técnica

 

Produção: Priscila Araújo, Johann Barbosa, Camila Dall’Agnol e Marilena Freitas

Reportagem: Willians Dias e Marilena Freitas

Repórter Cinematográfico: Rondinele Esbell

Edição: Elielton Kanys e Gesilvaldo Oliveira

Diretora da TV e Rádio Assembleia: Camila Dall’Agnol

Superintendente de Comunicação: Sônia Lúcia Nunes

 

 

Texto: Suzanne Oliveira

Fotos: Alfredo Maia | Eduardo Andrade | Marley Lima

SupCom ALE-RR | 10.02.2023

PUBLICIDADE

Leia também:

PREVIDÊNCIA SOCIAL Ministro assina termo de cooperação para implantar núcleo em Amajari | ALE-RR

Postado em 4 de março de 2024

Projeto inclui vacinas contra herpes-zóster e infecção pneumocócica no programa de imunização – Notícias

Postado em 3 de março de 2024

Sebrae/RR e Setrabes se reúnem para discutir sobre parceria e projeto para empreendedorismo entre as mulheres | ASN Roraima

Postado em 3 de março de 2024

Belo Monte é usina que menos emite gases de efeito estufa na Amazônia

Postado em 3 de março de 2024