PARCERIA E INCLUSÃO

Professores visitam Centro de Apoio à Família e conhecem trabalho feito com autistas

Participaram também da visita pais e alunos autistas da escola Pastor Fernando Granjeiro
Divulgação/Fonte
Professores, pais e alunos da Escola Estadual Pastor Fernando Granjeiro, durante visita ao TEAMARR

Compartilhe:

Mais de 60 professores da Escola Estadual Pastor Fernando Granjeiro conheceram na tarde desta terça-feira (31) o trabalho desenvolvido pelo Centro de Apoio à Família, da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), voltado para familiares de crianças diagnosticadas com o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Participaram também da visita os pais e os alunos autistas que estudam na instituição de ensino. Durante a manhã, na escola, houve o “Encontro Pedagógico TEA – Conhecendo os desafios e as potencialidades deles”, que contou com a participação de profissionais especialistas em autismo.

“Hoje foi um dia de troca de conhecimentos e experiências com os professores e com os pais dos alunos. Temos na nossa escola dez alunos autistas e viemos conhecer esse instituto que acolhe as famílias. Foi um dia de muita emoção e uma das mães disse que ‘é bom não estar mais sozinha’, porque a escola tocou neste assunto. Um segurando na mão do outro”, contou a gestora da unidade de ensino, Lívia Gomes Rodrigues.

Ela disse que o próximo passo é fazer rodas de conversa. “A inclusão deles já é um direito garantido, mas vamos buscar garantir ainda mais o direito à aprendizagem. Hoje, com essa parceria, marcamos nosso ano letivo com a proximidade da família e daqueles que trabalham diretamente na sala de aula”, acrescentou.

A deputada Angela Águida (PP) destacou que a meta do centro é trabalhar com outras instituições de ensino para capacitar a comunidade escolar. “Queremos estender essa capacitação aos professores, merendeira, porteiro e assistentes de aluno, para que estejam em condições de dar esse atendimento adequado para os autistas que estudam na escola.”

A ideia, conforme detalhou, é levar para outros segmentos que trabalham com atendimento de pessoas. “A capacitação possibilita fazer esse acolhimento, ter essa relação com essa criança e adolescente. Quando temos um autista na família, dizemos que a família é autista porque todos precisam desse olhar diferenciado, sobretudo, dessa compreensão. O comportamento requer isso para darmos o tratamento adequado”, acrescentou.

A pedagoga Ilma Lima, responsável pela Sala de Recursos Multifuncionais, disse que lidar com o autismo é uma tarefa desafiadora. “Precisamos primeiro conhecer as especificidades dos nossos autistas, o nível de interesse, para depois propor uma atividade pedagógica de acordo com o nível de recepção e entendimento”.

Ela ressaltou que a ação desenvolvida com o centro faz parte da proposta do ciclo da inclusão. “O Dia do Orgulho Autista é comemorado em 18 de junho, então pensamos nessa formação em parceria para conversarmos e refletirmos sobre o tema”, afirmou Ilma.
A pedagoga Rozenira da Costa Camelo afirmou que essa é uma causa envolvente. “Há 13 anos, estou trabalhando com esse público é e muito gratificante, pois faz a gente se tornar mais humana. Todos os dias aprendo com eles e com as mães. O desafio é grande, mas é apaixonante”, ressaltou.

A copeira Thaiza Monica Lima Gomes é mãe de Lucas, de 13 anos. Ela avaliou o encontro como mais uma porta que se abre para a inclusão do filho. “A escola foi que identificou que ele era autista, e com o passar do tempo fui compreendendo o jeito dele. O Centro de Apoio é muito bom e vou aproveitar para tirar todas as minhas dúvidas para dar mais apoio a ele’, disse.

Lucas Diego Lima Gomes é considerado um aluno inteligente na escola. Como todo estudante, gosta de algumas disciplinas e se retrai diante de outras. “Gosto de matemática, ciência, geografia e inglês. Nas outras, eu tenho dificuldade. Geografia é legal por causa dos mapas e das regiões. Matemática eu gosto por conta dos cálculos”, garantiu.

Texto: Marilena Freitas
Foto: Eduardo Andrade
Supcom ALE-RR 31.05.2022

Leia também:

Livro sobre Boinas Azuis da ONU será lançado no STJ

Postado em 31 de dezembro de 1969

Assembleia Legislativa aprova leis em favor da saúde mental da população roraimense

Postado em 3 de janeiro de 2022

Assembleia Legislativa continua a serviço da população durante recesso parlamentar

Postado em 3 de janeiro de 2022

Centro de Convivência da Juventude da Assembleia Legislativa retoma atividades

Postado em 4 de janeiro de 2022