Prêmio Sebrae de Jornalismo anuncia vencedores nacionais em Brasília | ASN Roraima

Divulgação/Fonte

Compartilhe:

Os vencedores da etapa nacional do Prêmio Sebrae de Jornalismo foram revelados nesta sexta-feira (24), em Brasília, durante uma cerimônia emocionante que reforçou o papel da imprensa na promoção e no fortalecimento do empreendedorismo brasileiro focado nos pequenos negócios. A grande final da premiação reuniu os 20 finalistas nas quatro categorias (Texto, Áudio, Vídeo e Fotojornalismo), com representantes de todas as regiões do país.

Com o tema central “A contribuição dos pequenos negócios para o desenvolvimento econômico e social do país”, o PSJ, que está em sua 10ª edição, bateu recorde este ano com 1.899 trabalhos inscritos, superando em 65% o número de 2022. As reportagens passaram pelas etapas estaduais, de onde os vencedores seguiram para a etapa regional, que selecionou os 20 finalistas da etapa nacional do PSJ.

Presidente do Sebrae, Décio Lima. Crédito: Erivelton Lima.

Na abertura da cerimônia, o presidente do Sebrae Nacional, Décio Lima, destacou o papel da imprensa na atualidade, diante das fakes news.

O bom jornalismo aqui representando por narrativas fundamentais que modificam a vida das pessoas e permitem que enxerguem uma possibilidade de superar dificuldades Décio Lima, presidente do Sebrae Nacional.

A dupla vencedora em Jornalismo em Texto foi Diego Rios e Larissa Gaudêncio. Crédito: Erivelton Viana.

Na categoria Jornalismo em Texto, a dupla vencedora foi Diego Rios e Larissa Gaudêncio, do Portal Fan F1 de Sergipe, com a reportagem “Ouro branco, ouro roxo: a batata doce como preciosidade agrícola do Agreste de Sergipe”. O trabalho acabou levando para casa também o troféu do Grande Prêmio Sebrae de Jornalismo, como o melhor conteúdo entre os vencedores nacionais. A categoria Texto foi a que teve maior número de inscrições, com 834 matérias.

É um orgulho contar as histórias do Nordeste que retratam a luta, as conquistas e superação do povo nordestino Diego Rios, um dos jornalistas vencedores da categoria Texto.

Patricia Casanova representou a equipe envolvida na produção da reportagem do Globo Repórter, que levou o troféu por melhor Vídeo. Crédito: Erivelton Viana.

Na categoria Jornalismo em Vídeo, a equipe do Globo Repórter, da TV Globo, ganhou a disputa com a reportagem “A força do coletivo”. Patricia Casanova representou a equipe envolvida na produção, formada por 21 pessoas no total. A categoria recebeu o segundo maior número de inscrições, com 682 conteúdos veiculados em canais de televisão ou canais de jornalismo em plataformas digitais, em língua portuguesa.

Em Jornalismo em Áudio, o grande vencedor foi o podcast “Empreendedorismo de Transformação”, do jornal O Tempo. Crédito: Erivelton Viana.

Na categoria Jornalismo em Áudio, os ganhadores são do Jornal O Tempo, de Minas Gerais, com o podcast “Empreendedorismo de Transformação”, veiculado em quatro episódios. O prêmio foi recebido por Queila Ariadne e Maria Irenilda. Também integram a equipe Lucas Morais e Cristiana Andrade. Em Áudio, foram inscritos 205 trabalhos.

Em Jornalismo em Áudio, o grande vencedor foi o podcast “Empreendedorismo de Transformação”, do jornal O Tempo. Crédito: Erivelton Viana.

Na categoria Fotojornalismo, a equipe da Revista Negócio Rural, formada por Julio Huber e Bruno Pinheiro Faustino, levou o prêmio para o Espírito Santo, com as imagens publicadas na reportagem “Agricultura regenerativa: uma nova era da cafeicultura brasileira”. Nesta categoria, foram inscritos 178 trabalhos.

Em Jornalismo em Áudio, o grande vencedor foi o podcast “Empreendedorismo de Transformação”, do jornal O Tempo. Crédito: Erivelton Viana.

Além das quatro categorias principais, houve um prêmio inédito para produções que abordaram o tema do empreendedorismo social como uma força capaz de impactar uma realidade local, regional ou nacional. O trabalho vencedor, escolhido pelo júri nacional entre os trabalhos finalistas que abordaram essa temática, foi a reportagem “Moeda local impulsiona negócios e muda realidade de moradores do Vergel do Lago”, veiculada pela TV Ponta Verde, de Alagoas. Lucas Araújo representou o time de profissionais que conta ainda com Marcelo Moreno, Manoel Salviano, Roberto Rocha e Fernando Moura.

Em Jornalismo em Áudio, o grande vencedor foi o podcast “Empreendedorismo de Transformação”, do jornal O Tempo. Crédito: Erivelton Viana.

A noite de premiação também foi marcada por uma homenagem à jornalista Ana Carolina Diniz, do jornal O Globo, pela divulgação ao longo da carreira de temas relacionados aos pequenos negócios como um caminho para o enfrentamento e a superação das desigualdades sociais. Ela recebeu a placa de Jornalista Parceira do Empreendedor.

É o prêmio mais imortal da minha carreira. Com 20 anos de profissão, já passei por muitos veículos e faço questão de levar o empreendedorismo comigo, porque são esses pequenos negócios que levam esse país nas costas Ana Carolina Diniz, homenageada com a placa Jornalista Parceira do Empreendedor.

Jornalistas de Roraima

Jornalistas vencedores da etapa regional, que representaram Roraima em Brasília: Poliana Araújo, Yara Ramalho e Luciano Abreu.

Entre os vinte finalistas da etapa nacional, Roraima teve uma representatividade significativa com três jornalistas, com trabalhos formidáveis e que se destacaram em Brasília.

Poliana Araújo da Rádio Roraima.

Ser uma das vintes selecionadas do Brasil pra mim é uma grande honra, estou aqui não somente representando o meu veiculo de comunicação mas representando toda uma historia, toda uma construção de desenvolvimento, do nosso estado e também da região norte. Enfatizou a finalista Poliana Araújo.

Yara Ramalho do G1 Roraima.

“Ter vindo para cá com a matéria que eu trouxe, essa matéria é ainda mais significativa em um contexto de povos indígenas que a gente tanto falou nesse ano e a matéria está inserida nesse contexto. São de mulheres paneleiras que fazem um ofício secular há milhares de anos, há muito tempo. É o ofício do barro, que hoje também é fonte de renda para elas e que hoje está aí, parte de uma seleção que tem um selo de identificação, uma coisa que referencia a elas é muito identificante. A minha vida profissional tem um peso ainda maior, estou muito feliz.” conta a jornalista do G1, Yara Ramalho

/>

“É uma felicidade muito grande, foi bom estar aqui e dividir essa experiência com muitos colegas, então isso é muito importante. Valoriza o nosso trabalho, valoriza tudo aquilo que a gente fez pela reportagem, e, claro, pela sua oportunidade de ficar aqui e trocar experiências com vários colegas do outro país.” destaca o repórter da Rede Amazônica, Luciano Abreu.

Conheça os trabalhos finalistas:

Categoria Jornalismo em Texto – Reportagem: Panelas de barro produzidas há séculos por mulheres Macuxi devem ganhar selo de referência à Terra Indígena Raposa Serra do Sol, de Yara Ramalho do G1 Roraima.

Categoria Jornalismo em Vídeo – Reportagem: Encontro Ancestral, de Luciano Abreu da Rede Amazônica.

Categoria Jornalismo em Áudio – Reportagem: Roraima, o mercado do café e suas vertentes, de Poliana Araújo da Rádio Roraima.

Lei a notícia completa na Agência Sebrae de Notícias – Clique Aqui!

Leia também:

AÇÃO FISCALIZATÓRIA Comissão de Saúde da ALE-RR discute necessidade médica em Hospital Geral de Roraima | ALE-RR

Postado em 26 de fevereiro de 2024

Caer realiza mutirão para revisão das faturas de água   – GOVERNO DE RORAIMA

Postado em 26 de fevereiro de 2024

MDHC apresenta a ministérios, na Casa Civil, eixos que comporão o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa — Agência Gov

Postado em 26 de fevereiro de 2024

Projeto prevê aplicação de flúor nos dentes de idosos a cada seis meses – Notícias

Postado em 26 de fevereiro de 2024