pesquisa aponta que cobertura vacinal de crianças e adolescentes segue baixa — Agência Gov

Divulgação/Fonte

Compartilhe:

 

Quatro anos após o início da pandemia de Covid-19, decretada oficialmente em 11 de março de 2020, e pouco mais de três anos após o início da vacinação no Brasil, a cobertura vacinal em crianças e adolescentes continua baixa, aponta estudo realizado pelo Observatório de Saúde na Infância (Observa Infância), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e Unifase. O boletim também aponta para uma queda importante no número de óbitos nessa faixa etária após o início da vacinação , indicando a eficácia do imunizante. No entanto, a baixa procura pela vacina ainda preocupa, pois está associada à continuidade da mortalidade pela doença, alerta o documento.

O Observa Infância analisou os dados de fevereiro de 2024 do Ministério da Saúde MS) sobre a vacinação de Covid-19 . Eles mostram que a cobertura vacinal em crianças de 3 a 4 anos está em 23% para duas doses e apenas 7% para o esquema vacinal completo com três doses. Na faixa de 5 a 11 anos, a cobertura sobe para 55,9% com duas doses e 12,8% completando o esquema com três doses.

Considerando as mortes por Covid-19, o Observa Infância analisou os dados do Sistema de Vigilância Epidemiológica de Gripe (Sivep-Gripe/Fiocruz) das oito primeiras semanas epidemiológicas de cada ano, entre 2021 e 2024. No período em questão no ano de 2021 (que corresponde aproximadamente ao final de fevereiro) foram registradas 118 mortes pela doença entre crianças e adolescentes até 14 anos. O mesmo período do ano de 2022 registrou um total de 326 mortes por Covid-19 nesta faixa etária, o que representou quase a metade (47,1%) das mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

Em 2023, com o imunizante contra a Covid-19 disponível para crianças a partir dos seis meses no Brasil, houve uma importante queda nos números: foram registrados 50 óbitos pela doença nas primeiras oito semanas do ano entre crianças e adolescentes até 14 anos. De acordo com o boletim, a proporção dessas mortes em relação ao total de óbitos por SRAG nesse ano e período foi de 24,5%.

No mesmo período de 2024, foram observadas 48 mortes por Covid-19 entre crianças e adolescentes com menos de 14 anos, representando 32,4% das mortes por SRAG.

De acordo com o boletim, a cobertura vacinal para essa faixa etária está em 11,4%, semelhante ao percentual de 14,9% observado na população adulta (considerando o esquema completo com as quatro doses da vacina), o que mostra uma baixa cobertura vacinal contra a Covid-19 em todas as faixas etárias.

“A análise mostra que temos uma vacina segura, eficiente e disponível em todos os municípios. Precisamos usar o recurso que nós temos para garantir a saúde das crianças, especialmente em um cenário desfavorável com a circulação de outras doenças perigosas, como a dengue”, alerta o pesquisador do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz) e coordenador do Observa Infância, Cristiano Boccolini.

Observa Infância

O Observatório de Saúde na Infância (Observa Infância) é uma iniciativa de divulgação científica para levar ao conhecimento da sociedade dados e informações sobre a saúde de crianças de até 5 anos. O objetivo é ampliar o acesso à informação qualificada e facilitar a compreensão sobre dados obtidos junto aos sistemas nacionais de informação.

As evidências científicas trabalhadas são resultado de investigações desenvolvidas pelos pesquisadores Patricia e Cristiano Boccolini no âmbito do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz) e da Faculdade de Medicina de Petrópolis do Centro Universitário Arthur de Sá Earp Neto (FMP/Unifase), com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação Bill e Melinda Gates.

Por: Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)




Fonte Notícias/imagens: Agência GOV da Empresa Brasil de Comunicação – EBC – Leia Mais

Leia também:

Livro sobre Boinas Azuis da ONU será lançado no STJ

Postado em 31 de dezembro de 1969

Assembleia Legislativa aprova leis em favor da saúde mental da população roraimense

Postado em 3 de janeiro de 2022

Assembleia Legislativa continua a serviço da população durante recesso parlamentar

Postado em 3 de janeiro de 2022

Centro de Convivência da Juventude da Assembleia Legislativa retoma atividades

Postado em 4 de janeiro de 2022