O efeito cascata dos Pequenos Negócios no Mercado Internacional de Roraima | ASN Roraima

Divulgação/Fonte

Compartilhe:

Em uma trajetória surpreendente, Roraima se destaca no cenário econômico internacional, impulsionado por um segmento vital: os pequenos negócios. A Revista Sebrae mergulha no coração desta transformação econômica, analisando como a busca por inovação dos pequenos empreendedores está gerando negócios nas fronteiras do estado e deixando uma mensagem clara: os pequenos negócios não apenas fortalecem a economia local, mas também pavimentam o caminho para o sucesso internacional.

O mais notável é como os pequenos negócios em Roraima geram um efeito cascata de oportunidades. Cada empreendimento que prospera cria um ecossistema de fornecedores, distribuidores e novos mercados, demonstrando que o tamanho do negócio não limita seu impacto no mercado global.

A contribuição dos pequenos negócios nesse panorama é inquestionável. Gerando 80% das vagas de emprego no mês de julho, com uma média de 36 mil postos criados por dia, os pequenos empreendimentos demonstram ser o motor da economia em Roraima. Eles desempenham um papel crucial no desenvolvimento sustentável da região, pois enquanto o agronegócio impulsiona a economia em larga escala, são os pequenos negócios que distribuem essa nova riqueza, diversificando o mercado.

Proporcionalmente, Roraima ficou em primeiro lugar entre todos os estados brasileiros na geração de empregos pelos pequenos negócios com um saldo de 5.615 novos postos de trabalho.

Os postos de trabalho gerados pelos pequenos negócios representam 71,48% do total das vagas preenchidas em 2022, que encerrou com um saldo de 7.855. As Médias e Grandes Empresas (MGE) foram responsáveis por 1.289 postos de trabalho (16,40%) e a administração pública por 795 (10,12%).

Pequenos negócios e o mercado internacional

Roraima alcançou a liderança nacional em geração de empregos pelos pequenos negócios, um indicativo de que o estado está criando um ambiente propício para novas iniciativas empreendedoras. Além disso, o setor de serviços garante a retomada da confiança dos pequenos negócios, sinalizando uma recuperação econômica consistente.

O relatório mais recente do Sebrae evidencia um saldo positivo impressionante para os pequenos negócios, com a abertura de mais

de 868 mil empresas no primeiro semestre de 2023. Roraima, com seu crescimento do PIB acima do esperado, beneficia diretamente o empreendedorismo, alinha-se com o aumento de faturamento dos pequenos negócios e uma recuperação econômica palpável.

O impacto dos pequenos negócios de Roraima no mercado internacional é um testemunho da capacidade do empreendedor de conquistar seu espaço, mesmo em um cenário competitivo, provando que o empreendedorismo roraimense é uma força a ser reconhecida. Segundo estatísticas do comércio exterior destacando o crescimento roraimense, o ano de 2022 fechou com US$ 517,4 milhões de mercadorias exportadas por empresas locais para outros países, um valor 44% mais alto que em 2021, quando foram exportados US$ 366,3.

Esse momento de aproximação entre Roraima, Barbados e Guiana, dar possibilidade para que barreiras sejam rompidas, pois é uma relação comercial saudável que não serve somente para vender, mas fazer com que as empresas e indústrias instaladas aqui no estado, tenham um crescimento e uma exportação salubre que estimule nossa economia, disse o presidente da FACIR (Federação das associações comerciais de Roraima) e sócio da Bebidas Monte Roraima, Vaneri Ferri.

A estatística também posiciona a Venezuela como o principal parceiro econômico do Estado, seguido de Espanha e China que também constam na balança comercial roraimense. Os principais produtos exportados pelas empresas de Roraima para a Venezuela foram embutidos de carne, preparações alimentícias de farinhas e açúcar. Para a Guiana foram exportadas carne e miudezas de frango, torta de soja e óleo de soja.

No ano passado, Roraima despachou, por semana, 329 carretas contendo 30 toneladas de mercadorias para o comércio exterior, abastecendo a Guiana, Venezuela, Espanha, Estados Unidos, Rússia e Turquia, explicou o coordenador de Negócios Internacionais da Seadi (Secretaria de Agricultura, Desenvolvimento e Inovação), Eduardo Oestreicher.

A parceria entre a Apex e o Sebrae exemplifica esse esforço conjunto, preparando 25 empresas locais para o mercado internacional, e sendo fiel à sua missão de ser um pilar para o crescimento e a estabilidade econômica do país.

O superintendente do Sebrae/RR, Emerson Baú, falou sobre esse crescimento para o mercado internacional.

A localização de Roraima é estratégica por estar próxima a um grande e fortificado mercado como o do Caribe. Portanto, este encontro foi muito importante porque reuniu os empresários, produtores do estado, microempreendedores que tiveram um momento de aprendizagem e possibilidades de negócios, já que alguns empresários da região que já atuam neste mercado guianense e caribenho, contarão suas experiências e vivências, explicou o superintendente.

Eckner Oliveira, Coordenador de Inteligência de Dados do Sebrae/RR, ressalta que ao apresentar o maior percentual de empregos gerados por pequenos negócios, Roraima demonstra que é um estado propício ao empreendedorismo.

“Isso pode ser resultado de uma combinação de fatores, como políticas públicas de estímulo às MPE’s, apoio financeiro, capacitação empreendedora e também o comportamento empreendedor do Estado” explicou Oliveira.

O coordenador reforça que, para manter esse crescimento, é importante continuar aprimorando as políticas públicas existentes e até desenvolver novas.

Desburocratizar a formalização, a questão jurídica das empresas, o financiamento, são questões que contribuem com o avanço contínuo desses negócios que têm apresentado resultados econômicos positivos para o estado, finalizou Eckner.

E os negócios não crescem apenas no país. A internacionalização dos negócios emerge como um horizonte promissor, como salientado pelo superintendente do Sebrae/RR, Emerson Baú. Ele destaca a localização estratégica de Roraima, promovendo interações comerciais com o Caribe e criando oportunidades de aprendizado e crescimento para microempreendedores locais. A FACIR e outros líderes empresariais reforçam essa visão, vendo na exportação uma alavanca para o desenvolvimento econômico regional.

O otimismo é compartilhado pelos pequenos empresários. Jorge Lopes, 61, é produtor rural do segmento de hortifruti em Roraima, ressalta que a falta de condições para ingressar no mercado internacional é um desafio e que ter essa chance de crescer e evoluir no seu negócio é animador.

Vender em quantidades maiores é o que busco, dessa forma, encontrar novos ambientes de comércio é uma possibilidade de fazer com que esse sonho se torne algo real e positivo não somente para o meu empreendimento, mas para toda a classe do empreendedorismo roraimense.

O produtor expressa o otimismo compartilhado por muitos, antevendo novos mercados para expansão. As exportações do estado corroboram essa esperança, com um salto de 44% em 2022, totalizando US$ 517,4 milhões em mercadorias enviadas a parceiros internacionais como Venezuela, Espanha e China.

De acordo como esclareceu o diretor presidente da Amatur e presidente da Câmara do Comércio Brasil/Guiana, Remídio, a parceria comercial entre Guiana e Caribe quando as possibilidades de investimento no mercado internacional, é um momento ímpar para os negócios de exportação e importação, reunindo os empresários, os órgãos do governo e as entidades deste setor do comércio.

Diretores do Sebrae/RR.

O Pulsar Econômico de Boa Vista

Na mais recente edição do Índice de Cidades Empreendedoras (ICE) 2023, Boa Vista desponta como a sexta melhor cidade do Brasil para empreender. Esta classificação é um reflexo do dinamismo econômico de Roraima, colocando a capital no holofote do empreendedorismo nacional.

O estudo, conduzido pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap) avaliou 101 cidades sob uma lupa criteriosa. Boa Vista sobressaiu no pilar de Cultura Empreendedora, uma conquista que evidencia a presença de instituições comprometidas com o setor, e também a busca de conhecimento dos empreendedores locais.

E o mercado? Boa Vista também é referência, ocupando a sétima posição no quesito. A cidade soube capitalizar o aumento do fluxo migratório de imigrantes venezuelanos, resultando em um crescimento exponencial das exportações. Com mais de 73% das vendas externas do estado destinadas ao comércio com a Venezuela, a capital se consolida no comércio exterior.

O Sebrae Roraima, sob a liderança de Emerson Baú, endossa esse sucesso. A instituição tem sido um apoio crucial aos pequenos negócios, proporcionando um ambiente otimista e seguro para quem

quer empreender dentro do estado e fora do país. A redução de burocracias, junto com o fortalecimento da economia, tem permitido aos empreendedores concentrarem-se naquilo que verdadeiramente importa: investir, produzir e, mais importante, gerar emprego e renda.

O Sebrae tenta ser o farol que guia esses empreendedores, dando além do suporte aos negócios existentes, a promoção da educação empreendedora, pavimentando o caminho para futuros líderes de negócios e inovadores e garantindo que Roraima brilhe no cenário empreendedor brasileiro, explicou o superintendente do Sebrae, Emerson Baú.

Lei a notícia completa na Agência Sebrae de Notícias – Clique Aqui!

PUBLICIDADE

Leia também:

PREVIDÊNCIA SOCIAL Ministro assina termo de cooperação para implantar núcleo em Amajari | ALE-RR

Postado em 4 de março de 2024

Projeto inclui vacinas contra herpes-zóster e infecção pneumocócica no programa de imunização – Notícias

Postado em 3 de março de 2024

Sebrae/RR e Setrabes se reúnem para discutir sobre parceria e projeto para empreendedorismo entre as mulheres | ASN Roraima

Postado em 3 de março de 2024

Belo Monte é usina que menos emite gases de efeito estufa na Amazônia

Postado em 3 de março de 2024