NOVEMBRO ROXO Assembleia Legislativa de Roraima promove audiência pública para discutir prematuridade | ALE-RR

Divulgação/Fonte

Compartilhe:

A Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) promove, na quinta-feira (16), uma audiência pública para discutir os riscos do parto prematuro e a importância do pré-natal. O evento, que faz parte da campanha Novembro Roxo, será realizado no Plenário Noêmia Bastos Amazonas, a partir das 9h.

A prematuridade é caracterizada pelo nascimento de um bebê antes da 37ª semana de gestação. É a principal causa de mortalidade infantil antes dos cinco anos de idade em todo o mundo, segundo a ONG (Organização não Governamental) Prematuridade.

O evento reunirá parlamentares, órgãos públicos, sociedade civil, profissionais da saúde e demais interessados no assunto. O objetivo é buscar soluções e avanços na problemática de saúde pública, que é multifatorial.

A autora do requerimento para a audiência, deputada Angela Águida Portella (PP), destacou a importância de levar a discussão para a Casa Legislativa. Segundo ela, a iniciativa surgiu a partir do contato com famílias que enfrentam esse tipo de problema.

“Atendemos à demanda das associações de mães que já passaram por isso e enfrentaram dificuldades, bem como de profissionais de saúde. Esse momento é difícil, e precisamos lutar para que outras pessoas, ao passarem pela mesma situação, tenham uma condição de atendimento amplo, durante e no pós-parto”, explicou a parlamentar.

A ideia ao propor o debate público é esclarecer para a população a melhor maneira de diminuir o risco do parto prematuro e oferecer uma oportunidade para que famílias que passaram pela experiência compartilhem seus relatos e contribuam para a construção de políticas públicas mais eficazes.

“Estamos convidando a sociedade a vir, participar e trazer seu relato de vida. Diga de que forma você precisa que esse serviço de saúde seja melhor. Além disso, é importante que escutemos os profissionais de saúde, que vão esclarecer de que forma nós, enquanto mães, podemos evitar, ou pelo menos tentar evitar, a prematuridade. Quais são os procedimentos, qual é a melhor forma de agir durante a gravidez, por exemplo, evitar o uso de cigarros, desde o primeiro mês de gestação, e fazer o pré-natal”, adiantou Portella.

Ainda de acordo com a parlamentar, que é autora da Lei nº 1.228/2018, que institui o Dia Estadual da Prematuridade, os resultados da discussão podem ser incluídos na próxima Lei Orçamentária Anual (LOA).

“Em audiências públicas, temos a ideia de discutir possibilidades de acesso ao melhor tratamento e recursos. Agora, vamos votar o orçamento e é importante que discutamos sobre isso”, avaliou.

A audiência será transmitida ao vivo pela TV Assembleia, no canal 57.3, pela Rádio Assembleia, na frequência 98.3 FM, e pelas redes sociais do Legislativo estadual (@assembleiarr).

Texto: Suellen Gurgel

Fotos: Jader Souza e Eduardo Andrade

SupCom ALE-RR

Fonte: ALE-RR | Assembleia Legislativa de Roraima – Leia mais

Leia também:

Serviços de inteligência produzem relatório do crime organizado nas prisões do MT — Agência Gov

Postado em 19 de junho de 2024

Entidades criticam exigências para a manutenção de imunidade tributária – Notícias

Postado em 19 de junho de 2024

Governo anunciará medidas para o setor audiovisual brasileiro

Postado em 19 de junho de 2024

EM BRASÍLIA Possível exploração de petróleo na bacia do Tacutu une políticos de Roraima | ALE-RR

Postado em 19 de junho de 2024