DOAÇÃO DE SANGUE Servidores da Ouvidoria-Geral da ALE-RR unem forças em favor da vida | ALE-RR

Divulgação/Fonte

Compartilhe:

A Ouvidoria da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) uniu forças em favor da vida, reunindo os servidores no Hemoraima para doação de sangue nesta sexta-feira (2). O ouvidor-geral Isamar Júnior (Podemos) disse que a motivação da ação é salvar vidas.

“O Hemocentro precisa de sangue, então convidamos todos os nossos colaboradores e servidores, tanto da ouvidoria quanto do gabinete, para estarem aqui doando sangue porque sabemos da importância deste ato, ainda mais nesse momento de pré-carnaval com registros de muitos acidentes ocorrendo na nossa cidade. Sangue é vida, portanto estamos doando vidas para as pessoas que precisam”, disse o ouvidor-geral.

Ao saber da ação, Daiane Silva, servidora da ouvidoria, não mediu esforços para comparecer. Ela se deslocou do Lago Grande, área rural de Boa Vista, para doar sangue pela primeira vez. “É uma satisfação muito grande estar aqui porque acredito que todos nós, de alguma forma, podemos contribuir para ajudar o nosso próximo. E se podemos ajudar, por que não? É a primeira vez que eu estou doando, mas já havia tentado outras vezes que acabaram não dando certo. Dessa vez deu certo e vou ajudar alguém que vai precisar de sangue”, contou.

A assessora técnica da Ouvidoria-Geral Kesia Carillo também estava estreando na ação de doar vida por meio do sangue. Um pouco nervosa, mas confiante e envolvida na atmosfera de solidariedade ao próximo.

 

“O meu sentimento é de muita alegria por estar ajudando a salvar outras vidas. Estou muito nervosa, mas uns amigos meus que já doaram me disseram que é super tranquilo, e não demora muito. Esse depoimento está me deixando mais calma”, relatou

 

Hellen Bessa, assistente social do Hemoraima, desfez os mitos sobre a doação de sangue e disse que os critérios para se enquadrar como doador são simples, mas que precisam ser postos em prática para que o ato seja perfeito.

 

“A pessoa tem que ter, pelo menos, seis horas de descanso, evitar esforço físico e dormir bem. Além de se alimentar bem, com o mínimo possível de gordura. A faixa etária é a partir de 16 anos, mas se estiver abaixo de 18 anos, tem que estar acompanhado do responsável. No geral, os doadores são até 60 anos, e só se permite acima de 60 se a pessoa tiver um histórico de doação anterior”, explicou.

Outro requisito é não apresentar sintoma gripal, não ser diabético e ter acima de 50 quilos. Ela destacou que o fator Rh “O negativo” é o mais raro, portanto o que se tem maior necessidade. “O tipo de sangue O negativo é especial porque é universal”, ressaltou.

Texto: Marilena Freitas

Fotos: Nonato Sousa

SupCom ALE-RR

Fonte: ALE-RR | Assembleia Legislativa de Roraima – Leia mais

Leia também:

Prefeitura de Maricá nega desvios de recursos da saúde

Postado em 28 de fevereiro de 2024

Imunização contra a dengue envolverá a rede pública de ensino dos municípios – GOVERNO DE RORAIMA

Postado em 28 de fevereiro de 2024

PREVIDÊNCIA SOCIAL ALE-RR realiza audiência pública com presença do ministro Carlos Lupi nesta sexta-feira | ALE-RR

Postado em 27 de fevereiro de 2024

Câmara aprova regime de urgência para oito projetos – Notícias

Postado em 27 de fevereiro de 2024