VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR

CHAME ministra palestra para alunos do curso de formação da Polícia Militar

PM é uma das parceiras da instituição e é bastante solicitada quando alguma vítima entra e, contato pelo ZapChame
Foto: Eduardo Andrade
Procuradora Espeical da Mulher, deputada Betânia Almeida, durante palestra do Chame na APICS

Compartilhe:

Por Suzanne Oliveira

Uma equipe multidisciplinar do CHAME (Centro Humanitário de Apoio à Mulher), da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), ministrou uma palestra sobre violência doméstica e familiar aos alunos da segunda turma do curso de formação da Polícia Militar, nesta segunda-feira (16), na Academia de Polícia Integrada Coronel Santiago (APICS-RR).

A procuradora Especial da Mulher, deputada Betânia Almeida (PV), compartilhou com os alunos um pouco de sua história acerca da violência que sofreu em um relacionamento abusivo e informou que “rompeu um ciclo”, que já havia ocorrido com outras mulheres de sua família.

“Falar de violência doméstica é importante em todos os momentos da nossa vida, principalmente num estado onde o índice é altíssimo e nos envergonha. Estar aqui, hoje, falando para esses profissionais, é uma honra muito grande. Nos receberam com tanto carinho, e eu acredito que, cada vez que a gente trata de violência doméstica, em um ambiente como esse, onde eles [PMs] vão atuar o tempo inteiro, é de fundamental importância”, frisou a parlamentar.

Segundo Marcilene Melo, psicóloga do CHAME, a PM é uma das parceiras do órgão, sendo, inclusive, bastante solicitada quando alguma vítima entra em contato pelo ZapChame. “É louvável essa união. Que bom que a Lei Maria da Penha funciona. Ela só veio para acrescentar ajuda a essa mulher que é vítima de violência doméstica e familiar”, disse.

Ainda conforme Marcilene, existe no CHAME um grupo reflexivo chamado “Construir”, voltado para a ressocialização de agressores que se arrependeram de seus atos e querem mudar o comportamento abusivo.

“Ele pode procurar voluntariamente ajuda no núcleo e nós estaremos ali para atendê-lo com palestras, fazendo com que esse homem venha a enxergar o comportamento agressivo dele, como trabalhar isso, de uma forma que ele tenha como sair desse ciclo de violência, como parar e dar um basta. Se estiver disposto e comprometido, pode reconstruir sua família”, explicou a psicóloga.

O CHAME faz parte da Procuradoria Especial da Mulher e funciona na avenida Santos Dumont, nº 1470, bairro Aparecida, em Boa Vista, e em Rorainópolis, na BR-174, próximo à rodoviária. As unidades atendem de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, sem intervalo para o almoço.

A população também pode buscar apoio e orientação pelo ZapChame, no número (95) 98402-0502, 24 horas por dia, todos os dias da semana, incluindo sábados, domingos e feriados.

Homicídios em Roraima

De acordo com o último Atlas da Violência do Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgado ano passado, em 2019, Roraima, proporcionalmente, liderou o ranking de homicídios de mulheres. Foram 12,5 assassinatos por 100 mil habitantes, mesmo tendo apresentado uma queda nas taxas, se comparado a 2018, quando foram registrados 20,5 homicídios.

Leia também:

Livro sobre Boinas Azuis da ONU será lançado no STJ

Postado em 31 de dezembro de 1969

Assembleia Legislativa aprova leis em favor da saúde mental da população roraimense

Postado em 3 de janeiro de 2022

Assembleia Legislativa continua a serviço da população durante recesso parlamentar

Postado em 3 de janeiro de 2022

Centro de Convivência da Juventude da Assembleia Legislativa retoma atividades

Postado em 4 de janeiro de 2022