‘SETEMBRO AMARELO’

Assembleia Legislativa oferece apoio psicológico a parlamentares e servidores

Núcleo de Saúde também conta com serviço multidisciplinar ambulatorial e emergencial
Foto: Marley Lima

Compartilhe:

Por Suzanne Oliveira

Uma pesquisa divulgada em abril pela Fundação Fiocruz Amazônia, que avaliou o comportamento do suicídio no Brasil em 2020, ano em que eclodiu a primeira onda de covid-19, revelou que as regiões Norte e Nordeste apresentaram os maiores índices de mortes desse tipo no país.

Conforme os dados, os casos envolvendo homens da Região Norte com 60 anos ou mais chegaram a 26%. Aqueles que envolvem mulheres de 30 a 59 anos também aumentaram, porém, os números não foram informados. Em seguida, aparece o Nordeste, onde foi verificado o mesmo padrão de comportamento em mulheres com 60 anos ou mais, chegando a 40% dos registros.

Para minimizar os impactos psicológicos deixados pelo coronavírus, o Poder Legislativo disponibiliza de forma gratuita atendimento psicológico aos parlamentares e servidores da Casa, incluindo os terceirizados, por meio do Núcleo do Serviço de Saúde, onde o paciente recebe suporte e orientação, dependendo da avaliação de cada caso.

“A ideia do atendimento é que seja de prevenção, antes que o servidor adoeça ou, nos momentos iniciais, que tenha acesso à orientação e acolhimento para entender o que se passa com ele. Nosso objetivo maior é trabalhar com isso. Saber onde essa pessoa está vivendo algumas questões emocionais e não consegue lidar com o que está acontecendo”, explicou a psicóloga do núcleo, Arieche Lima.

De acordo com ela, o atendimento pode ocorrer apenas uma vez ou poderá ser semanal, dependendo da avaliação.

“O acolhimento acontece quando há um problema focal, relacionado a um desentendimento no local de trabalho ou em casa, por exemplo. Mas pode ser também que se desenvolva um atendimento semanal. Então, a pessoa vem uma vez por semana ou é atendida online. São cerca de 40 minutos de atendimento, de um até três meses. Depois, é feita uma avaliação final para ver se será necessária uma continuidade”, concluiu a psicóloga.

O agendamento pode ser feito das 7h30 às 13h, de segunda a sexta-feira no Núcleo de Saúde da ALE-RR, e os atendimentos ocorrem também nos mesmos dias da semana, das 8h às 12h, ambos na Avenida Ville Roy, 5717, 2º andar, bairro São Pedro.

 

Outros serviços

Além dos atendimentos voltados aos servidores, a instituição disponibiliza serviços psicológicos direcionados aos assistidos e inscritos em alguns programas da Assembleia Legislativa, como o Centro de Apoio à Família (TEAMARR), o Centro Humanitário de Apoio à Mulher (Chame) e o Centro de Convivência da Juventude.

No TEAMARR, o atendimento psicológico é focado nas avaliações, principalmente para crianças e adolescentes que ainda não têm laudo do Transtorno do Espectro Autista (TEA), conforme destacou a psicóloga Heloísa Helena Moreira.

“Muitas vezes acontece de, no processo de avaliação, não ser identificado o TEA, mas, alguma outra questão, como dificuldade de aprendizagem, e a equipe faz o encaminhamento para outros órgãos, de acordo com a necessidade daquela criança ou adolescente”, informou.

Segundo ela, durante o período de avaliação psicológica, já é possível observar mudanças no comportamento do assistido.

“As sessões são preparadas com material específico, mas sempre com a introdução de brinquedos e jogos. Então, existe esse caráter lúdico. Nós percebemos que, ao mesmo tempo em que ocorre a avaliação, também tem a intervenção. Numa criança que começou a ser avaliada há um mês, percebemos mudanças por essa interação. A família acompanha e é orientada durante esse período”, ressaltou.

Ainda de acordo com Heloísa, atualmente, a psicologia atua em três frentes dentro da unidade. A primeira está relacionada com a avaliação primária da criança ou adolescente, a segunda está linkada com oficinas de convivência com familiares, e a terceira, com o trabalho de formação em terapias, tanto para profissionais da área quanto para a família.

 

Legislação

O Poder Legislativo aprovou em 2016 a Lei 1.065, de autoria do deputado Evangelista Siqueira, que trata da Semana Estadual de Valorização da Vida e Prevenção ao Suicídio e institui o 10 de setembro como o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Além disso, os prédios da Assembleia e de alguns órgãos do Estado recebem iluminação especial em alusão à campanha de conscientização.

 

Texto: Suzanne Oliveira

Fotos: Marley Lima/ Jader Souza/ Eduardo Andrade

SupCom/ALE-RR | 12.09.2022

Leia também:

Livro sobre Boinas Azuis da ONU será lançado no STJ

Postado em 31 de dezembro de 1969

Assembleia Legislativa aprova leis em favor da saúde mental da população roraimense

Postado em 3 de janeiro de 2022

Assembleia Legislativa continua a serviço da população durante recesso parlamentar

Postado em 3 de janeiro de 2022

Centro de Convivência da Juventude da Assembleia Legislativa retoma atividades

Postado em 4 de janeiro de 2022