5 DE FEVEREIRO ALE-RR promove debates e elabora leis para estimular mulheres a realizarem mamografia | ALE-RR

Divulgação/Fonte

Compartilhe:

Com o objetivo de difundir a importância do exame radiológico na detecção de alterações nas mamas, comemora-se, nesta segunda-feira (5), o Dia Nacional da Mamografia, instituído pela Lei Federal nº 11.695/2008.

A Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) tem promovido debates e elaborado leis para estimular as mulheres a realizarem o exame, reconhecido como um dos principais aliados na luta contra o câncer de mama, o tipo de neoplasia mais prevalente entre as mulheres no mundo, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Um exemplo do compromisso da ALE-RR com a saúde da mulher é a Lei nº 1379/2020, de autoria do deputado Neto Loureiro (PMB), que concede às mulheres o direito à folga, dispensa ou liberação das atividades para realizar exames preventivos de controle do câncer de mama e do colo uterino.

A Lei nº 1.195/2017, dos ex-deputados Jalser Renier e Dhiego Coelho, amplia ainda mais o acesso à prevenção, concedendo aos trabalhadores da iniciativa privada e domésticos, a partir dos 30 anos de idade, o direito a uma folga anual para a realização de exames preventivos de controle do câncer de mama, de colo do útero, pele, próstata e de pulmão.

Pensando na inclusão, a Lei nº 1.596/2021, do deputado Chico Mozart (PP), obriga os hospitais públicos estaduais a fornecerem mamógrafos adaptados para mulheres com deficiência e outras necessidades especiais. Essa medida garante que todas as mulheres, independentemente de suas condições físicas, tenham acesso à mamografia.

A mais recente iniciativa parlamentar é a Lei nº 1.746/2022, da ex-deputada Lenir Rodrigues, que prioriza a realização de mamografia para mulheres de 40 a 70 anos com histórico familiar de câncer de mama e/ou nódulos, em toda a rede de saúde pública ou privada do Estado.

Para o presidente da Assembleia Legislativa, Soldado Sampaio (Republicanos), o compromisso com a saúde da mulher é um dever de todos os parlamentares.

“Percebemos que essa é uma pauta presente em todas as nossas legislaturas. Hoje, temos muitos parlamentares, homens e mulheres, muito inclinados a desenvolver projetos na área da saúde, e isso, mais na frente, com certeza se transforma em políticas eficazes que chegam à ponta na prevenção do câncer de mama, por exemplo”, ressaltou o presidente.

Já a presidente da Liga Contra o Câncer Roraimense (LCCR), a ginecologista Magnólia Rocha, adverte que, além de leis que facilitem o acesso à mamografia, o combate ao câncer de mama exige investimento dos poderes públicos na saúde primária.

“Este é o câncer que mais mata mulheres no Brasil e, quando não mata, mutila. Uma das causas principais é a falta de investimento na saúde primária, onde a mulher precisa ter acesso não apenas ao exame, mas também ao diagnóstico e tratamento precoces. Com isso, melhoraríamos a qualidade de vida delas e reduziríamos os gastos públicos com tratamentos complexos, como a radioterapia, que muitas vezes não estão disponíveis no nosso Estado, obrigando as pacientes a buscarem tratamento fora de Roraima, onerando os cofres públicos”, disse a médica.

 

Raios X das mamas

O câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve nas células mamárias. Sua progressão pode ser lenta ou rápida, e diversos fatores contribuem para sua origem, como genética, hormônios, ambiente e comportamental.

Desde sua criação em 1965, a mamografia se consolidou como o principal método para detectar lesões mamárias sem nódulos palpáveis. A técnica de raios X permite a visualização de alterações precoces, antes mesmo da percepção ao toque, aumentando significativamente as chances de cura.

O autoexame regular, associado à mamografia, contribui para o rastreio da doença, possibilitando um tratamento mais eficaz e menos invasivo. É importante ressaltar que, embora o nódulo seja um sinal comum, nem toda mulher com nódulo apresenta a doença.

“Como a célula sofre uma alteração e ela vai se multiplicando, o ideal é que se descubram essas alterações bem no início. Daí a importância da mamografia, porque ela favorece o diagnóstico inicial antes de se sentir o nódulo, porque é possível eu já ter um câncer de mama instalado sem um sintoma aparente, pois, em princípio, é um nó ou um espessamento. A cada dez mulheres com nódulos na mama, pelo menos oito não são cânceres”, explicou Magnólia Rocha.

Faixa etária

A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) recomenda a mamografia anual a partir dos 40 anos, mesmo sem alterações perceptíveis. Para mulheres com histórico familiar da doença, a idade pode ser reavaliada com um médico. A ultrassonografia pode complementar o exame em casos de mamas mais densas.

O Centro de Referência da Saúde da Mulher em Boa Vista oferece o exame gratuito para mulheres a partir dos 40 anos. O agendamento pode ser realizado diretamente no centro, sem necessidade de encaminhamento médico.

Aos 60 anos, a técnica de enfermagem Maria das Graças Silva é uma das pacientes do centro, que realiza 30 mamografias por dia. Para ela, apesar do desconforto momentâneo do exame, em que as mamas são comprimidas entre duas placas para garantir uma espessura uniforme, vale a pena passar pelo processo.

“Já tenho uma idade mais avançada e faço de dois em dois anos. Já apareceu um cisto com líquido, foi verificado e não era nada demais. Mas foi recomendado que eu continuasse fazendo de dois em dois anos. Portanto, é fundamental realizar essa prevenção, mesmo sendo um momento constrangedor, precisamos fazer”, destacou a técnica de enfermagem.

Prevenção primária

Já se tornou lugar-comum falar da importância de manter uma atividade física regular, adotar uma alimentação balanceada e investir na saúde mental para reduzir o risco de cânceres e doenças crônicas. No entanto, mesmo com o tema sendo recorrente, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre como adotar um estilo de vida saudável.

Segundo a nutricionista Larissa Santos, ser saudável é investir em uma alimentação diversificada e rica em nutrientes.

“Cada alimento traz nutrientes, uma vitamina diferente. Então, é fundamental variar legumes e verduras. Nesta semana, por exemplo, podemos escolher três cores diferentes e assim por diante. Isso porque o excesso de gordura corporal desencadeia alterações hormonais, as quais, por sua vez, provocam inflamações, culminando em doenças mais graves, como a obesidade e o câncer”, explicou.

Além disso, a nutricionista recomenda adotar a mudança gradual de hábitos alimentares, com substituições inteligentes e moderação. Algumas dicas incluem evitar o corte total de alimentos e substituí-los gradualmente por opções mais saudáveis, começar com pequenas mudanças, como diminuir a quantidade de alimentos processados e açucarados, e experimentar novos sabores, explorando a variedade de legumes, verduras e frutas.

Cuidar da saúde é como se preparar para uma maratona, não para uma corrida de cem metros. É um processo contínuo que exige paciência e persistência. Adotar um estilo de vida saudável desde cedo ajuda a prevenir doenças e garante um envelhecimento com qualidade de vida.

“O ruim de deixar para depois é que você vai se cuidar quando a doença já está instalada. E geralmente esses cuidados não são mais aqueles cuidados leves. Você vai ter que entrar com medicamentos, o que pode gerar inclusive uma dieta muito mais radical, cortando totalmente o açúcar e o sal. Então, é melhor reeducar-se hoje, aprender a alimentar-se hoje, do que esperar a doença cobrar um preço maior lá na frente”, aconselhou a nutricionista.

Agendamentos

O Centro de Referência da Saúde da Mulher oferece mamografia para mulheres a partir dos 40 anos. Os agendamentos são realizados das 7h30 às 17h30, na Av. Cap. Júlio Bezerra, 1632, bairro Aparecida. Não há necessidade de encaminhamento da Unidade Básica de Saúde (UBS). Documentos necessários: identidade (RG), CPF (Cadastro de Pessoa Física), cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) e comprovante de residência.

SaPL

 

Para conferir a íntegra das leis estaduais mencionadas, acesse o endereço https://sapl.al.rr.leg.br/, na aba “Normas Jurídicas”.

Texto: Suellen Gurgel

Fotos: Alfredo Maia/ Nonato Sousa

SupCom ALE-RR

Fonte: ALE-RR | Assembleia Legislativa de Roraima – Leia mais

Leia também:

AÇÃO FISCALIZATÓRIA Comissão de Saúde da ALE-RR discute necessidade médica em Hospital Geral de Roraima | ALE-RR

Postado em 26 de fevereiro de 2024

Caer realiza mutirão para revisão das faturas de água   – GOVERNO DE RORAIMA

Postado em 26 de fevereiro de 2024

MDHC apresenta a ministérios, na Casa Civil, eixos que comporão o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa — Agência Gov

Postado em 26 de fevereiro de 2024

Projeto prevê aplicação de flúor nos dentes de idosos a cada seis meses – Notícias

Postado em 26 de fevereiro de 2024